Ainda não estou maluquinho.

João Pinto e Castro, nesta caixa de comentários. Como só me reuni com aquela equipa numa ocasião, fica esclarecido que, de facto, não conheço o Miguel Abrantes.

12 pensamentos sobre “Ainda não estou maluquinho.

  1. Isto é ridículo, não percebo porque este putativo ‘Miguel Abrantes’ ou aparece pessoalmente ou desaparece de vez. É tudo estranho, bizarro, vago, a sério que quem está de fora não vê mesmo o sentido desta história.

    Gostar

      1. Deixei o comentário no seu blog porque justamente transparece muito bem que o Luís não andou a enganar, e os poucos testemunhos que eu havia lido sérios era a sua referência, que pelos vistos era também enganosa (e não digo que fosse deliberada, pelo contrário!). Agora esta sua precisão permitiu ainda o comentário seguinte de Miguel Marujo: «cara f., o CAA, como ele se assassinava, jantou com o Miguel Abrantes, no Bairro Alto, quando do blogue Sim no Referendo, e sentou-se à mesma mesa que o dito corporativo na Bica a beber um copo, com o Luís M. Jorge… Agora finge que não. Qualquer dia nega que tenha feito campanha pelo sim. Ah, e eu sei isto não porque tenha andado a ler a correspondência do Carlos Santos, mas apenas porque estive nessas duas mesas.»

        São tantas as histórias e ambiguidades que se ‘Miguel Abrantes’ não aparecer fica muito gente que mais valia ter estado calada.

        Gostar

  2. E repare ainda que há muitos blogs que estão apostados na descredibilização dos outros mais (em particular de um senhor Carlos Santos, que eu nem segui acerca deste assunto fandangueiro) e não em dar indicação prática e cabal de um determinado ser humano existir. Isto é mesmo patético e é assunto de meses. Quanto a mim, pelo que li em blogs que prezo, francamente o blog ‘Da Literatura’ está na calha para não mais se levar a sério, porque não estou bem em crer da existância coerente deste dito ‘Miguel Abrantes’.

    Gostar

    1. Azevinho, tem razão nas suas dúvidas. Eu próprio acho que o Miguel Abrantes é um personagem virtual formado por um programa de computador desenvolvido nas caves do Conselho de Ministros, para gerar posts e comentários em blogues. Parece que não encontraram ninguém, nem entre os assessores, que quisesse fazer posts a defender o governo… ;). Portanto, sobre o tal jantar, é evidente que ninguém almoça com software, pelo menos, não com um it sem “Existência coerente”, conceito que eu acho engraçado.
      É verdade, já existe alguma entrada na wikipedia para “Miguel Abrantes”? Vou ver. E assim se passa o tempo. A malta aqui manda dizer que acha que vocês se conhecem todos e circulam todos como carrinhos de choque num raio de 100 metros com centro no Chiado. Have fun.

      Gostar

      1. “A malta aqui manda dizer que acha que vocês se conhecem todos e circulam todos como carrinhos de choque num raio de 100 metros com centro no Chiado. Have fun.”

        E isso aborrece-o muito, não é Pedro?

        Gostar

        1. Ora, não tanto como o aborreceu a si. Diabos, eu acho que disse uma coisa com certo potencial de piada, humpf. nunca mais cá volto e é bem feito.

          Gostar

      2. Sim, agora vejo que a expressão «existência coerente» tem certa graça inadvertida. O que eu quero precisar é que não é de todo necessário ver o B.I. do dito ‘Miguel Abrantes’, nem mesmo o nome civil, mas há várias formas de tornar patente quem alguém é ou não, e é mesmo isso que neste caso (mesmo estranho!) tem faltado.

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s