Orgulho.

Dada a multidão de pseudobritânicos, protonórdicos, arquigermânicos e demais nacionalidades tomadas de empréstimo por filhos da Póvoa de Lanhoso e Cinfães nas páginas dos jornais e posts da blogosfera lusitana, eu, que sou tão patriota como benfiquista e praticante de tuning, não resisto a uma exibição de orgulho nacional.

Vejam quantos nazis existem na Áustria, terra de Hitler, que fez tão bem àquela gente como o Salazar à nossa:

Screen Shot 2016-05-23 at 10.16.44

Vejam quantos nazis existem em França, adormecidos desde os tempos gloriosos (e honrados) de Vichy:

Screen Shot 2016-05-23 at 10.17.04

Agora vejam quantos nazis existem na Suécia, a doce e civilizada Suécia, onde dezenas de centros de acolhimento para refugiados se incendiaram misteriosamente desde o êxodo sírio:

Screen Shot 2016-05-23 at 10.16.55

E vejam quantos nazis existem na Finlândia (o país mais branco e com menor densidade populacional da Europa), na Polónia (terra bendita de papas e delatores), na Hungria (que saudades do império), na Roménia, na Eslováquia,  mas também na Dinamarca, senhores, o “país mais feliz da terra”.

Screen Shot 2016-05-23 at 10.35.49.png

E Portugal? Espanha? Estão representados naqueles quadrados a cinzento, entre a Holanda nazi e a Suíça fascista:

Screen Shot 2016-05-23 at 10.37.14

Quando a Helena Matos e os sobredotados que a bajulam se queixarem da “pressão da esquerda”, lembrem-se do que significa a pressão da direita.

 

19 pensamentos sobre “Orgulho.

  1. A repulsa ao proto-fascismo, parece-me, está relacionada com a memória histórica: Grécia, Espanha e Portugal tiveram ditaduras repressivas pelos 70’s dentro. Mas só para recordar que não vai há muito tempo (já a madame LePen assombrava a Françia e o FPO tivera um PM Austriaco e o Pim holandês, homossexual nazificado, tinha sido assassinado) a Grécia, em 2009, era um exacto espelho de Portugal:
    PASOK/PS 44%/37%
    ND/PSD 34%/29%
    KKE/PCP 8%/8%
    LAOS/PP 6%/10%
    Syriza/BE 5%//10%

    Gostar

      1. Não resultados de 2009 – partido grego e equivalência politico-ideologica portuguesa. O Aurora dourada surgiu no parlamento em 2012 com 7%. Em 2009 teve 20000 votos, 0.3%, tal como o PNR em Portugal. O ponto é mesmo esse.

        Gostar

          1. Claro que há razões circunstânciais diferentes (e muito). Mas há 1 decada ninguém imaginava isto na Grécia, que tem (tinha) uma cultura (estudantil, laboral, política etc.) bem similar à portuguesa.
            Claro que ninguém espera uma partido fascista com 7% cá, mas ninguém o esperava na Grécia… e se o Syriza morrer na praia, como parece… até que os fascistas podem chegar ao poder num dos paises com maior cultura de resistência da Europa…

            Gostar

            1. A base sociológica do Aurora Dourada é basicamente a mesma de 2009. O acréscimo foi pelo voto de protesto, por um lado, e, por outro, o medo dos imigrantes, instilado pelo dirigentes. É flutuante. O core é reduzido e nos votos totais não chega aos níveis de outros partidos congéneres pela Europa. O Aurora Dourada nunca se tornará poder na Grécia. A Grécia não é a Hungria. Há outros partidos de direita nacionalista (um até está no governo), muito tementes à santa madre igreja ortodoxa, etc, mas não se atrevem à retórica do AD. Digamos que são os corta-fitas do lugar. Conheço razoavelmente bem a Grécia, nem tanto por já lá ter estado, há uns anos, mas por acompanhar já há muitos anos o país à distância. Antes dos chats, no liceu, tive uma pen friend grega, olarilas.

              Gostar

  2. No Norte da Europa é só gente honrada, que sabe o valor do dinheiro. No sul é só preguiçosos, que querem viver à conta…

    Sobre a famosa tolerância do Norte da Europa e os seus espíritos iluminados desde tempos imemoriais isto bastava http://www.abc.es/historia/abci-leyenda-negra-mentiras-sobre-persecucion-brujas-espana-pais-no-unio-masacre-mujeres-201605200105_noticia.html para ficarmos conversados. Todavia a memória é fraca e mal preservada e os espíritos permeáveis à propagada enganosa da tenebrosa Inquisição, que foi péssima, mas que queimava menos brujas, do que os “puritanos” do Centro e Norte da Europa…

    Gostar

  3. Luís, os mapas são sobre a representação parlamentar, em Portugal e Espanha (ainda) não têm lugares no Parlamento. Mas em Espanha ainda há uma forte corrente franquista, com comemorações, romagens aos lugares de culto, etc., que está basicamente muito diluída no PP.

    Gostar

  4. ah os salazaristas…
    Mas o reverendíssimo, eminentíssimo Cardeal Cerejeira II sempre é um começo.(E também se chama Manuel, por obra da divina providência).

    Gostar

  5. A malta de Cinfães quer é paz e sossego, seja lá fora ou cá dentro !! Passem por lá a confirmar, não se irão arrepender. (Não, isto não é um comentário “á lá indignado” é apenas um filho da terra a aproveitar para fazer publicidade..)

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s