A morte solitária de George Bell.

Os habitantes de Nova Iorque inspiraram alguns bons escritores de não-ficção. Joseph Mitchell, colaborador lendário da New Yorker, e N. R. Kleinfield, do New York Times, são dois exemplos que recordo agora, porque Kleinfield acaba de publicar um texto maravilhoso dedicado a um homem até hoje desconhecido.

5 pensamentos sobre “A morte solitária de George Bell.

  1. De entre todos os episódios de Seis Palmos de Terra, lembro-me especialmente de um: a morte de uma mulher de meia idade, com uma aparente boa situação financeira, que vivia e morreu sozinha no seu moderno apartamento no meio da cidade. Zero pessoas no seu funeral; ninguém compareceu para tratar de nada.
    Marcou-me o discurso do padre. O que ele encontrou para dizer perante aquela vida foi: “Não podemos julgar”
    Extraordinário.

    Gostar

      1. Para começar os palmos de terra não são seis, são sete. Lol, contei-os mal. Quanto ao como assim é em relação a quê? De todas as vidas, aquela era a mais difícil de compreender e perdoar.

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s