Ricardo Salgado, anti-Cristo.

É apenas uma das notícias sobre o tema que hoje percorreram a imprensa internacional, no topo dos artigos mais lidos do Financial Times:

Fears over Portuguese bank Espírito Santo trigger stocks sell-off

Depois disto será interessante assistirmos aos esforços renovados da nossa direita acéfala para persuadir a dona Augusta que ela deve pagar a conta “por ter vivido acima das possibilidades”.

Anúncios

24 pensamentos sobre “Ricardo Salgado, anti-Cristo.

    1. Ah, mas se a dona Augusta não abusasse das carnes vermelhas não sofreria de Alzheimer, e saberia que quem se inscreve no FT tem, salvo erro, um número limitado de artigos gratuitos para ler todos os meses. Neste caso o assunto é interessante porque fez a capa do jornal.

      Gostar

  1. É preciso ser fleumático, pois o BdP, dirigido pelo dr. Carlos <> Costa, diz que o BES está, citando um grande artista, firme e hirto como uma barra de ferro, http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/banca___financas/detalhe/banco_de_portugal_reafirma_a_situacao_de_solvabilidade_do_bes_e_solida.html.

    O FMI diz que http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/banca___financas/detalhe/fmi_sistema_bancario_portugues_precisa_de_medidas_correctivas_em_alguns_casos.html há aí uns correctivos para aplicar numas “bolsas de vulnerabilidade”.

    Já não sei se estamos na tragédia ou na farsa…

    Gostar

  2. A cultura de imobilidade e irresponsabilidade do funcionalismo público é que trama este país:

    http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/telecomunicacoes/detalhe/granadeiro_explicou_problema_da_pt_ao_conselho.html
    (“Não houve demissões na reunião do Conselho de Administração da Portugal Telecom que decorreu esta quinta-feira.”)

    … para além das profundas deficiências de gestão e controle da função pública…:
    :
    http://www.noticiasaominuto.com/economia/246741/zeinal-bava-jurou-que-nao-sabia-dos-879-milhoes

    … e a premiação da incompetência na função pública:

    http://www.jornaldenegocios.pt/especiais/weekend/detalhe/o_presente_de_14_milhoes_de_ricardo_salgado.html

    E estamos a falar dos serviços da administração pública de topo e com melhores quadros. Nem imagino o que será por essas pequenas repartições públicas espalhadas pelo país.

    Gostar

  3. A cobra vai fumar ouvindo aqui http://podcast.ft.com/index.php?sid=44&pid=2244 (a partir do minuto 11:40) e tendo atenção, perdão pelo português, à borrasca que se entrevê no segundo parágrafo deste artigo http://www.bloomberg.com/news/2014-07-14/nomura-said-to-have-threatened-to-seek-espirito-loan-repayment.html e cito:
    “Failure to repay the loan could have triggered multiple defaults across companies within the Espirito Santo group, said the people, who asked not to be identified because they weren’t authorized to speak publicly. ”

    Como diria o outro that, multiple defaults, my friend is major shit…

    Não esquecer que a CGD ficaria a arder com 300 mihões http://www.publico.pt/economia/noticia/caixa-geral-de-depositos-tem-exposicao-de-300-milhoes-a-empresas-do-grupo-espirito-santo-1662585 (ou menos dependendo do valor dos activos, rezando, os pobres contribuintes, para que não haja várias hipotecas sobre os mesmo activos), mas, caso houvesse efeitos nos BES, Passos Coelho, Carlos Costa, Miss Swaps e afins podem ter de pôr a viola no saco e nacionalizar, usando o termo técnico, para baralhar a malta, que eles quiserem, o BES.

    Gostar

      1. O editor de banca do FT diz, num artigo com alguns erros, que é pouco provável um final feliz http://www.ft.com/intl/cms/s/0/4849e496-0b43-11e4-9e55-00144feabdc0.html#axzz37QxFNKlL

        Não esquecer que a exposição, do BES ao GES, cresceu http://www.jornaldenegocios.pt/mercados/bolsa/research/detalhe/bpi_exposicao_do_bes_ao_ges_e_850_milhoes_superior_ao_mencionado_anteriormente.html

        Não será nacionalizar, se o balanço consolidado do BES não poder ser “massajado” http://www.publico.pt/economia/noticia/exame-as-contas-do-bes-pode-determinar-novos-reforcos-de-capital-1662886 , será uma “recapitalização pública”, via linha de crédito da troika, para reforçar os rácios de solvabilidade, necessários para cumprir as normas da regulação europeia, e restaurar a confiança dos mercados no BES et pour cause no país.

        A pescadinha vai ser vendida mais ou menos assim.

        Vêm aí os testes de stress do BCE que poderão incluir o risco brutal no BESA http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/banca___financas/detalhe/bes_tem_em_risco_3000_milhoes_de_emprestimos_ao_bes_angola.html , cuja solução está dependente da boa vontade da República de Angola. O acrónimo BES pode dar Banco Eduardo dos Santos https://twitter.com/bifeahcasa/status/488817569605103617

        A nacionalização poderá ser evitada se um haircut aos obrigacionistas for suficiente para reforçar o BES, eu estou a fazer figas quanto aos depósitos ( a la Chipre), dada a falta de certeza no tamanho do buraco, não sei se chega. Convém lembrar que as agências de rating estão a dar mais uns pontitos ao BES a contar com o suporte/apoio do Governo português http://www.forbes.com/sites/francescoppola/2014/07/11/banco-espirito-santo-a-portuguese-disaster-not-a-european-crisis/

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s