Score.

Vencedores.

Os indignados, com uma retórica que mete dó: Ó stôra eu estive lá e vi tudo. A gente atirámos pedras aos outros meninos porque eles tinham lancheiras da Prada e morfaram os kinder chocolates. Se eu fosse comunista estaria em pânico.

Vencidos.

A polícia. Ou está confiada a barrascos que viram muitos filmes do Van Damme ou a pidezinhos reverentes e prestimosos. Dava-nos jeito descobrirmos.

O Governo. Fodeu-se, e não há outra maneira de escrever isto.

Arménio Carlos. Num só dia conseguiu perder o povo e ficar refém de uma quadrilha de radicais.

A ver. 

António José Seguro. Se estiver calado talvez pareça sério, se parecer sério durante muito tempo talvez o confundam com uma solução.

Anúncios

24 pensamentos sobre “Score.

  1. Luís, todos perdem um bocadinho, Arménio, Governo, Segurone, os Zelosos de Crachá.

    Perda como a da gente à rasca é que não há.

    Gostar

  2. que é que vocês então, criaturas bonitas, adoráveis, mas imponderáveis, quereis significar com estes entrechoques suaves de bolinhas de algodão irónico, entre amigos que se querem mas abominam a luta (que bruta!) venha ela donde vier, que é que quereis dizer, baraboletas? Não percebo.
    Se houve falhanço da greve geral, pois regozijai-vos abertamente, caralho!

    Gostar

    1. gaf, há merdas que você não percebe mas este lepidóptero explica-lhe como se fosse muito loira. Eu cá gosto de greves bem feitas, como gosto de empresas bem feitas e de políticos que tenham lido mais do que o “Sei Lá” e dois compêndios de gestão na Católica. É uma fraqueza minha. Um gajo pode regojizar-se com a derrota de um adversário poderoso, mas não com o falhanço de uma coisa enjorcada e pífia, que tresanda a morte precoce ainda antes de nascer.

      E agora escrevo a sério: precisamos de sinais de inteligência. Nos sindicatos, na política, na esquerda e na direita, na justiça e nas instituições. Principalmente na opinião pública, que é uma bosta incapaz e imprestável. O meu lado, você já deve saber qual é: liberalismo (sim, liberalismo) à nórdica. Impostos agressivos sobre os rendimentos e baixos sobre as empresas. Combate à corrupção e controlo eficiente dos cartéis. Legislação de trabalho capitalista, compensada por transferências sociais decentes. Escolas públicas, saúde pública, funcionários públicos bem pagos mas que se possam avaliar e despedir sem cerimónias.

      O que escrevi no parágrafo anterior vai contra tudo o que a esquerda e a direita defendem em Portugal. É como se, podendo escolher entre o capitalismo e o socialismo, Portugal tivesse optado por uma combinação mediocre dos dois. E você admira-se que tanta gente opte pela ironia?

      Gostar

  3. Luis, entra em contradições bem intencionadas, elucubrações, diria. Defende uma organização “à nórdica”, que nós não temos, mas depois diz que temos uma combinação de “capitalismo e socialismo” (do pior que há nos dois). Defende um “liberalismo” com preocupações sociais quando isso, pura e simplesmente, não está nos genes do liberalismo financeiro tal como é praticado actualmente. Quando fala de aliviar as empresas de impostos refere-se ao IRC ou à taxação dos lucros? É que parece que os nórdicos carregam é nos lucros das empresas para financiarem o social…

    Gostar

  4. «Se estiver calado talvez pareça sério, se parecer sério durante muito tempo talvez o confundam com uma solução.»

    Eheh.

    Gostar

      1. Uma pessoa ia «à blogosfera» e aprendia coisas todos os dias. As discussões duravam dias e consumiam posts enormes, como, por exemplo, a conversa entre a Coluna e o Gato Fedorento (sim, o blogue era muito bom) sobre Nélson Rodrigues (de quem, diga-se, eu nunca tinha ouvido falar até aí). Lembro-me de ter vivido uns tempos sem acesso à internet e gravar num webcafé páginas html para uma pen para ler mais tarde; não havia internet móvel, não havia smartphones, não havia facebook nem twitter nem nada, ninguém sabia pôr fotografias nos blogues, António Guterres era primeiro-ministro e ainda vivíamos na ressaca das «vacas gordas». Pensando bem, foi há 10 anos mas parece que foi há 30.

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s