Fui sim, está aqui a prova.

Os mujiques protestam contra a austeridade.

Olha o enquadramento à intelectual de esquerda caviar. O povo é nosso amigo.

Hoje estava-se bem era na caminha, ó Manela. 

Atrás de uma ruiva falsa há sempre um verdadeiro poeta que se esforça por entrar.  

Anúncios

12 pensamentos sobre “Fui sim, está aqui a prova.

  1. Amazing grace, Luís and Pitta, walking together! Amazing grace…

    Amazing grace! (how sweet the sound)
    That sav’d a wretch like me!
    I once was lost, but now am found,
    Was blind, but now I see.

    ‘Twas grace that taught my heart to fear,
    And grace my fears reliev’d;
    How precious did that grace appear
    The hour I first believ’d!

    Thro’ many dangers, toils, and snares,
    I have already come;
    ‘Tis grace hath brought me safe thus far,
    And grace will lead me home.

    The Lord has promis’d good to me,
    His word my hope secures;
    He will my shield and portion be
    As long as life endures.

    Yes, when this flesh and heart shall fail,
    And mortal life shall cease;
    I shall possess, within the veil,
    A life of joy and peace.

    The earth shall soon dissolve like snow,
    The sun forbear to shine;
    But God, who call’d me here below,
    Will be forever mine.

    John Newton, Olney Hymns, 1779

    Gostar

    1. Lol, Joaquim. Eu não merecia um poema de John Newton mas sim, teve graça.
      Quanto ao “walking together”, é assim: as pessoas que me acompanharam durante estes anos sabem que eu gosto do Eduardo, de quem nem estou tão distante ideologicamente. Mas podia estar: ainda há pouco almocei a sós com outro distinto blogger que, apenas suponho, já foi e não sei se não será da Opus (evitei perguntar-lhe). Conheço gente no Bloco que me atura o inaturável. E, como sabe, faço parte da equipa do Delito de Opinião, com deputados do CDS, consultores do Passos e uma ou outra senhora que frequenta discretamente manifs do sindicato dos professores. Metade do meu círculo de amigos apoiou o Sócas durante anos a fio, chamou-me nomes e deu-me calduços para me fazer calar. Explicação para os fenómenos? Não estou mal assim, não me explico.

      Gostar

  2. Pois eu admiro e gosto que sejas tal como és: independente, abrangente e fraterno com quem quiseres. Brinquei, mas, mais a sério, a vida tem de passar além da convolução das nossas vísceras. Eu e o Eduardo já vivemos melhores dias enquanto bloggers que convivem nesta plataforma, trocam mails de solidariedade em momentos mais delicados de sofrimento ou aquela saudação sazonal que cai bem, coisas sem facção de gente que separa o que há a separar e se respeita. Pomo da discórdia? O Sócas, what else?!

    Carry on, meu caro Luís.

    Grande Abraço.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s