Parem as rotativas.

A Palmira escreveu mais umas merdas, revelando ao mundo todas as potencialidades do registo entrópico. Agora o leitor só tem de as decifrar.

Anúncios

8 pensamentos sobre “Parem as rotativas.

  1. Eu tenho uns primos que falam assim; aposentaram-se para a Florida, que é mais meiga para os ossos que Rhode Island e tem pinheiros altos que lembram os de cá.

    Gostar

      1. Sei pela família que os nossos patrícios têm mais de meia dúzia de social clubs espalhados pelo estado, e ele é torneios de golfe, dias de Portugal, festivais de peixe, caminhadas para angariar fundos para isto e para aquilo…Depois, para os que podem e ainda querem, ano sim, ano não, uns meses cá. Trabalharam que se desunharam, mas agora folgam. Bem feito.

        Gostar

          1. Não seja mauzinho… 🙂 O poema é bom e V. está chateado com a não atribuição do Nobel ao Roth. Mas, Luís, a Academia Sueca não anda aqui para nos (também partilho o gosto pelo Roth) agradar.

            Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s