A história secreta.

Almerindo Marques vai ser presidente da Opway, uma construtora do Grupo Espírito Santo. Ocorreram várias coisas antes de lá chegar. O Rui Costa resume, eu adapto:

1. Almerindo Marques, presidente da Estradas de Portugal, renunciou ao cargo em Março de 2011.

2.Dois meses depois, o Tribunal de Contas audita uma renegociação de dívida entre as Estradas de Portugal e as concessionárias das SCUT:

  • A dívida do Estado às concessionárias passou de 178 milhões para mais de 10.000 milhões de euros;
  • A Ascendi (liderada pela Mota-Engil e pelo Grupo Espírito Santo) garantiu mais 5400 milhões de euros em rendas, que não dependem do número de carros em circulação;
  • A Euroscut (liderada pela Ferrovia) garantiu mais 1186 milhões de euros em rendas;
  • Em 2011, o Estado recebe 250 milhões de euros em portagens e paga 650 milhões de euros de euros em rendas, com um prejuízo de 400 milhões de euros (62% do valor das rendas, 160% do valor das portagens)

Pior:

O Governo não só nomeou as comissões de negociação (ver aqui) , como criou condições para escapar ao controlo do Tribunal de Contas. Em 2006, a maioria socialista aprovou uma alteração aos poderes do tribunal que permite modificações a contratos antigos:

«Não estão sujeitos à fiscalização do Tribunal de Contas os contratos adicionais aos contratos visados», determina a Lei 48/2006, de 29 de Agosto.”

3. Almerindo Marques nega que as Estradas de Portugal tenham concluído um negócio ruinoso (0:53 no filme).

4. A 23 de Maio o Jornal de Negócios noticia que Almerindo Marques vai ser o próximo presidente da Opway, a construtora do grupo BES.

O que diz o PSD? Nada. O que diz o CDS? Nada. O que diz a blogosfera de Sócrates? Nada. O grupo Espírito Santo é a história secreta de Portugal.

Anúncios

30 pensamentos sobre “A história secreta.

    1. Fiz uma pequenina investigação sobre isso, Carlos, excluindo a área política do PCP. O Blasfémias falou no assunto, o Cachimbo de Magritte e o Henrique Raposo também. Na campanha eleitoral o Louçã dedicou um dia ao tema. Quem falta são mesmo estes que digo: o PSD, o CDS e a blogosfera de Sócrates. Isto é extraordinário, porque não se trata de uma questão partidária mas nacional. 10.000 milhões de euros representam uma boa percentagem do financiamento do FMI. E repare que o tema seria poderosíssimo em campanha.

      Gostar

      1. E a comunicação social? Já não existe jornalismo de investigação? Ou estamos reduzidos às listas, tipo “As 10 melhores praias para a prática do swinging”, que Visão e Sábado publicam semanalmente?

        Gostar

          1. O problema não é haver coisas “piores” ou “melhores”. O problema, para mim, é não haver verdadeiro jornalismo de investigação por cá. Já tivemos, mas agora parece que concorrem todos com a Time Out, a julgar pelos conteúdos.

            Gostar

  1. Então e o FMI ou o BCE ou a UE não dão uma ajudinha para evitar esse esbulho dum Estado já tão aflito e, já agora, para melhorar a probabilidade de receberem o dinheiro que nos vão emprestar?

    Gostar

      1. Luis, não percebi muito bem a sua resposta: a indignação patente no seu post parece-me rigorosamente igual à da carta de Rita Ferro..

        Gostar

  2. Fica tudo fechado na loja… Alguém duvida que, independentemente da cor, todas as grandes negociatas se fazem na loja da esquina? Eles param lá todos…

    Gostar

  3. obrigado. Isto traz números, factos e ligações concretos, é investigação jornalística a sério.Eu sabia (desconfiava) vagamente da coisa, mas até tinha medo de ser susceptível de ser acusado em conversas de amigos de adepto da “teoria da conspiração”, mais uma. Quanto aos blogs de Sócrates, houve um que me enganou a propósito do Almerindo…

    Gostar

  4. Ninguem fala disto. Claro que não. Como estamos em campanha à dias veio uma noticia a falar do mal estar na GNR e, pasme-se em tempo de crise, resolveram dentro da GNR promover 40 militares a generais.
    Expos a questão da noticia que veio no jornal público na minha página do Facebook e, ninguém mesmo ninguém, comentou a favor ou contra.
    Se ouver um acto de prejuizo ao estado que seja os tribunais a decidir. Não existe um orgãos próprios de control? Ainda bem. Se ouver corrupção se seja os tribunais a decidir.

    Gostar

  5. Não sei se é verdade se é mentira, não sei se foi forjado ou não, não sei se há ou não gente dos Partidos metidos nisto, o que sei, e para mim, é um dos valores mais relevantes da democracia, é de que infelizmente não se perfilam nem jornais nem jornalistas que façam trabalhos sérios, verdadeiros, trabalhados e profundos em que possamos acreditar, salvo raras e meritórias excepções, vide Leticia caso Casa Pia que englobava muitos merdosos da política e do Jet Set

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s